Joana Soberano

 

Janeiro / Fevereiro 2011

«Carlos Barão tem sabido mergulhar nos processos de auto-reconhecimento, trazendo para suportes convencionais as linhas, arabescos, formas indecifráveis, objectos comuns que parecem apresentar e dar-nos a ver materiais da memória (…), escritas remotas, coisas que sinalizam a infância, um mundo que já foi e que vem até nós de muito longe, do côncavo do lago espesso onde se encontrava. Há uma imagem complementar que nos ajuda a perceber o processo: é a imagem de alguém que mergulha o braço naquela água, até ao ombro, e de lá vai repescando detritos da vida e das coisas, formas desprendidas e rotas, fios, papéis (…).
No seu pleno espaço de expressão, ele elabora formas através de linhas, tintas como que rasuradas, colagens, manchas de recortes particulares, antropomórficos, ou caligrafias narrativas em torno dos personagens do quotidiano, da família e dos adereços construtivos (…).
Cada quadro, onde estes elementos se identificam e logo se desvanecem ou são encobertos por outras camadas de tempo, constitui em geral um espectáculo de grande efeito expressivo, o apelo à criança que existe dentro de nós em vez do luxo verista de certas representações.»

Rocha de Sousa
(in “Jornal de Letras”, Abril 2009)

Em Trânsito – Carlos Barão

  Janeiro / Fevereiro 2011 «Carlos Barão tem sabido mergulhar nos processos de auto-reconhecimento, trazendo para suportes convencionais as linhas, arabescos, formas indecifráveis, objectos comuns que parecem apresentar […]

Nós entre imagem e palavra

Dezembro 2010 / Janeiro 2011 Pintura. Se num suporte for pintada uma árvore ou um braço, a pintura tem representada uma árvore, um braço; mas não […]

Acção Fenix 2.0 e instalação de Silvestre Pestana

Outubro 2010  

Areias Movediças – Pedro Valdez cardoso

Outubro 2010 A instalação “Areias Movediças”, de Pedro Valdez Cardoso, recria uma paisagem pantanosa integralmente realizada em lona militar, onde habitam elementos do mundo natural - […]

Má-arte – colectiva

Setembro / Outubro 2010 Uma personagem (raramente mais do que uma) envolvida numa actividade não explícita, ou estática olhando o observador, é apresentada no centro de […]

Permanências – Miguel Telles da Gama e Pedro Pascoinho

Abril / Maio 2010  

Sustentável Leveza – Casa da Cultura de Coimbra

Março / Abril 2010 Sustentável Leveza Este conjunto de quatro obras apresentado na Casa Municipal da Cultura de Coimbra foi sendo constituido a partir de uma […]

Flowers & Champagne – Ana Pimentel

Dezembro 2008

Laboratório dos Afectos – Quinta das Lágrimas

Outubro 2008 a Janeiro 2009 Laboratório Afectos encontrou na Quinta das Lágrimas o espaço ideal para se apresentar. Tendo como ponto de partida a trágica história de […]