Pedro Valdez Cardoso
7 Outubro, 2020
Sara Franco
15 Outubro, 2020
Voltar

Maria João Franco

15 Outubro, 2020
Maria João Franco - laura meu amor, 2018, 87x162cm, mista s tela

Maria João Franco – … meu amor

Artista: Maria João Franco Título: ... meu amor Dimensões: 97x162cm Data: 2018 Técnica: mista sobre tela
15 Outubro, 2020
Maria João Franco - o ser e os tempos, 2019, 97x130, mista s tela

Maria João Franco – O ser e os tempos -1 (série)

Artista: Maria João Franco Título: O ser e os tempos - 1 (série) Dimensões: 97x130cm Data: 2019 Técnica: mista sobre tela

SOBRE:

Maria João Franco nasceu em Leiria em 1945. Com 15 anos começa a frequentar o Círculo de Artes Plásticas em Coimbra, de onde parte para o Curso de Pintura na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa, onde tem como professores o Pintor Gil Teixeira Lopes e o Escultor Soares Branco. Dois anos depois parte para o Porto onde frequenta Arquitectura na ESBAP, mas o convívio com os colegas das Artes Plásticas, fazem-na retomar de novo o gosto pela Pintura, aproximando-a também do Pintor Nelson Dias, futuro marido. Em sequência da morte de seu irmão Miguel regressa e Leiria, só mais tarde retoma os estudos novamente em Lisboa. Do pai, Miguel Franco, herda o gosto por um mundo mágico. Homem de teatro, Miguel Franco é reconhecidamente um dos dramaturgos mais importantes da década de 70 em Portugal, pelo enfoque histórico da sua obra que se confronta com o então espírito do “regime”. Uma forte ligação triangular “Miguel Franco – Maria João Franco – Nelson Dias” desencadeia no espírito ainda jovem de Maria João um sentido de busca, de procura e de pesquisa que prevalece ainda no seu percurso. Fortemente marcada pelo “Expressionismo Abstracto”, Maria João Franco começa a expor com 23 anos, seguindo na senda de Nelson Dias a tendência expressionista quer na abstracção, quer na sua passagem para a figuração. Sentindo como fortes expoentes da Pintura Portuguesa, Rocha de Sousa, Gil Teixeira Lopes, Luís Dourdil, Júlio Pomar ou Resende, bebe neles a influência que tem em mira o extravasar de uma pintura de emoções contidas num expressionismo lírico de uma sensualidade quase “aquática” ou meramente fluida. Ao longo da carreira tem desenvolvido inúmeros projectos pictóricos, sendo prestigiada com diversas distinções, e recentemente (2007) condecorada com a medalha “Mérito-Cultura” e com a Comenda da Associação dos Artistas Plásticos Brasileiros.